Alegrete | Cavalo Após Sofrer Mal Tratos Precisou Ser Sacrificado

Na noite de Domingo (24), por volta das 20h dois indivíduos desceram a rua Conde de Porto Alegre, imediações da Serralheria Andrade, com uma ‘carroça’ atrelada num cavalo. Alguns minutos depois, os homens subiram puxando somente a ‘carroça’. Uma testemunha relatou à reportagem que era semelhante as estruturas que são utilizadas para recolher sucatas, portanto não era tão pesada o que possibilitou que eles pudessem empurrá-la.

Mas para a surpresa de muitos moradores das adjacências, eles visualizaram quando o cavalo tentou seguir os dois indivíduos, mas não conseguia caminhar, estava mancando. Ao se aproximarem, ficaram em choque com a brutalidade dos ferimentos nas patas traseiras do animal. Uma delas estava quebrada ao ponto de ficar presa somente por um pano que um voluntário conseguiu colocar e a outra também apresentava ferimentos profundos e estava perdendo muito sangue. Era visível a expressão de apreensão em todas as pessoas que acompanharam a situação.

A Guarda Municipal foi acionada e chegou rápido no local.

Depois de uma primeira avaliação foi realizado um contato com o Prefeito Márcio Amaral que questionou a possibilidade do animal ser recolhido, pelo caminhão e levado para o potreiro, onde iria receber atendimento veterinário. Mas devido a gravidade dos ferimentos, através do Secretário de Segurança e Mobilidade Urbana, Luciano Pereira, foi feito contato com o médico veterinário, da Prefeitura, Paulo Renato Gonçalves.

Depois de ir ao endereço e constatar que não teria como amenizar a dor do animal de forma rápida e, um tratamento iria levar um tempo considerável sem ter uma perspectiva se daria certo, a melhor decisão para amenizar a dor do animal era a eutanásia.

Durante duas horas, a Guarda Municipal ficou no local até que a eutanásia fosse concluída. Por volta das 23h40min.,a Brigada Militar foi acionada para auxiliar no atendimento. O animal estava resistente, apesar das fortes dosagens de remédios aplicados pelo veterinário Paulo.

Na guarnição estava o soldado Carlos que também é acadêmico de Medicina Veterinária. Ele sugeriu que fosse aplicada a dosagem de um outro medicamento e, em pouco tempo o animal morreu. Sem que houvesse a necessidade de ser realizado um disparo de arma de fogo, para que o processo fosse concluído.

Ficou acordado que nesta manhã a Secretaria de Infraestrutura, através do setor de limpeza, vai fazer a retirada do animal.

O mais importante é que na rua possui sistema de videomonitoramento e poderá ser possível que os culpados de tamanha crueldade sejam punidos. O Secretário de Segurança e Mobilidade Urbana que de imediato, assim como o Prefeito Márcio Amaral, se mobilizaram para buscar uma solução ao caso, disse que iria acionar a PATRAM.

Testemunhas relataram que os indivíduos seriam do bairro Macedo. Mas este é um outro processo que vai ter a sequência já no âmbito da justiça.

Fonte: Alegrete Tudo