Itaqui na Rede

Inaugura hoje em Itaqui a primeira indústria de sílica de recursos renováveis no mundo

Por mais de quatro décadas o beneficiamento de arroz libera a casca como subproduto, que sem utilidade, gerava grandes transtornos à indústria com a cobrança da correta destinação por parte dos órgãos ambientais.

O parque industrial de Itaqui , um dos maiores da América do Sul, tem uma capacidade de beneficiamento de mais de 1.200 milhão de sacas de arroz e segunda maior área de produção orizícola, que gera em torno de 15 mil toneladas de casca (23%) ao ano.

Esta grande quantidade de resíduos despertou ao grupo alemão Ferrostal a oportunidade de instalar uma unidade no município, com projeto embrionário para geração de energia térmica e elétrica. Porém, a incógnita de destinação das cinzas, 20% da quantidade da queima de casca, proporcionou um novo desafio á própria empresa. Os estudos desenvolvidos por um longo período resultaram na decisão de fabricação da chamada sílica precipitada.

Com esta guinada, surge o novo empreendimento inaugurado nesta quinta-feira, 09 de maio, na Sesmaria Rocha denominado Oryzasil Sílicas Naturais. Sustentada pelo grupo como a primeira do gênero no mundo a focar sustentabilidade, pois elimina as águas residuais, a partir da casca de arroz, cujo estoque será fornecido por Camil e Josapar, entre outros, não terá de se preocupar com abastecimento de matéria prima produzir sílica.

O componente químico poderá ser aproveitado na fabricação dos chamados pneus verdes, capaz de economizar até 10% de combustível com redução de emissões de CO2. Também para borrachas, tintas e até creme dental. Assim, Itaqui está na vanguarda, 100% do processo sustentável com inovação tecnológica e servirá de modelo na construção de mais duas indústrias, uma nos Estados Unidos e a outra na Europa.

Visando prospectar um mercado altamente competitivo, a solução inovadora de automação do processo da primeira sílica ecológica, é apresentada aos representantes dos maiores fabricantes mundiais de pneus e empresários de outros segmentos que participam do ato inaugural, juntamente com autoridades e lideranças nacionais.

A capacidade de produção é de mais de 2,5 mil toneladas de sílica/mensal. A planta piloto em uma área de 30 hectares, possui capacidade de queima de 20 toneladas/hora, o suficiente para gerar energia para abastecer uma cidade com cerca de 200 mil habitantes, por exemplo. A usina termelétrica com fonte de energia limpa da casca do arroz, quando concluída terá capacidade para 8 megawatts.

O prefeito Jarbas Martini e sua equipe, participa da cerimônia com a presença do secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo do Rio Grande do Sul, Ruy Irigaray, que representa o governador Eduardo Leite, ratifica os cumprimentos ao grupo, transmitido ao seu representante Vitor Hartmann, durante visita no gabinete municipal, juntamente com o vereador Jeocemar dos Santos .

O chefe do Executivo ressalta a importância do investimento de mais de R$ 25 milhões nesta primeira etapa,que representa 20% e mais R$ 280 a R$ 300 milhões na segunda parte, conforme foi relatado no encontro. Jarbas também considera importante as 35 vagas de trabalho com absorção de pessoal da própria cidade, mais técnicos, engenheiros e doutores e mais 100 pessoas futuramente.

Vitor agradeceu o pronto atendimento da equipe do governo municipal com liberação de licença ambiental através da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, dentro dos prazos estimados.